Esta obra fala sobre N e karaté, que não é uma menina, é karateca. Esta tem 14 anos, quase 15 e tem dois grandes sonhos: o maior deles é ser cinturão negro, o segundo é beijar Raul. N gosta de escrever, embora ache aborrecido porque na verdade prefere lutar com Raul. O seu objeto preferido é um animal de estimação, uma personagem, uma pessoa de verdade mas… O que é a verdade?

Embora fale da sua história, não é um diário, não tem chave nem segredos (Tem segredos sim). Tem também vontade própria, páginas movediças, palavras pouco usais como “diarreia” e “romântico” e tem a típica bruxa má que quer aprender a ser boa e ainda uma mosca que não sabia quem era.

Obra indicada para o 3.º Ciclo, com uma leitura de fácil compreensão e cativante para as crianças pela história porque envolve vários mistérios à volta da personagem e da sua vida, o que nos faz ficar presos à história, ansiosos pela resposta a tantas perguntas que poderão surgir.

 

b_0_280_16777215_01_images_Leituras_O_Caderno_Vermelho_da_Rapariga_Karateca.jpg


Dupla delícia - O livro traz a vantagem de podermos estar só e ao mesmo tempo acompanhados (Mário Quintana)