Conta a artista Estela Lopes que foi assim o Livro, na Semana da Leitura:

“Pela manhã, e com os/as meninos/as da Unidade de Apoio à Multideficiência, Livro encarnou uma centenária avó muito especial: A Tartaruga.
Esta avó traz consigo toda a sua imensa biblioteca, dentro da carapaça!
Curiosamente, uma biblioteca repleta de memórias (muito similar daquela em que nos encontramos, agora mesmo)!
Assim, recordamos o mar e ficamos a saber:
Da história do grande dia em que a tartaruga venceu a corrida com a lebre veloz! - Um clássico da literatura, adaptado e recriado, para um momento tão especial, quanto foi este!
Sim, as cenouras eram livros de capa cor-de-laranja e a lebre adormecia a ler um livro interessantíssimo, que encontrara mesmo ali à sua espera, como estão à nossa espera os livros que querem ser lidos por nós!

De tarde, assinalando o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, o livro foi ao encontro destes meninos.
Pôs o seu barco na água, ou seja, as suas ideias mais cativantes e as diversas tentativas de contacto em ação.
Quando partimos para um desafio como este, a é solução procura-la no momento presente, estando completamente abertos e atentos à matéria de trabalho que se revela à frente dos nossos olhos pois, é essa atitude que fará toda a diferença, de ser ou não ser.
E assim foi! Foi assim que surgiu a extraordinária aventura de Leo e o leão marinho: um menino que aprendeu a viajar na sua imaginação e através dos livros!

A TARTARUGA DA PATA GROSSA
Da tartaruga e suas memórias aquáticas e da célebre corrida clássica com a lebre:
A tartaruga mostra a sua pata grossa, que todos podem confirmar com os seus próprios dedos. Agora vive em Terra juntamente com os outros animais terrestres. Mas, em tempos longínquos, dos quais se lembra nos seus sonhos, pertencia ao mar. Fazia maravilhosas viagens marítimas, nadando veloz com as suas barbatanas e usando a sua extraordinária memória. Sim, ela lembra-se! Lembra-se de Ver todos aqueles incríveis animais marinhos, que ela sabe imitar na perfeição. Do gesto e das onomatopeias. Também das suas cantigas aquáticas. Também do lixo que começou a poluir as águas…
Agora, que vive em terra, gosta de conviver com os seus amigos terrestres.
E agora, que é uma avó centenária, gosta de contar as suas imensas aventuras aos seus netos (não é, meus netinhos?)
De entre todos os seus amigos animais, tem um especial: A lebre.
Conversam muito e fazem jogos, jogos de cartas e xadrez.
Apesar de muito diferentes, são bastante amigas.
Mas a lebre está farta de fazer todos os dias os mesmos jogos... Ela quer pular, correr e saltar! Quer enfrentar desafios! Então propõe à tartaruga uma corrida até ao rio.
Tartaruga, a-da-pata grossa, aceita.
... E com todas as distrações que podem haver pelo caminho, quem será que vai vencer a corrida?


LEO E O LEÃO MARINHO
Leo é um menino curioso que gosta de aventuras e do mar.
Como vive longe, nas montanhas, aprendeu a viajar na sua imaginação.
Ele vai à biblioteca da escola, onde estão guardados os livros.
É nesse lugar que se encontra os oceanos e todos os animais surpreendentes que lá habitam.
É nesse lugar que se encontram os melhores sofás viajantes do Mundo. Eles transformam-se em submarinos, aviões, autocarros-todo-terreno, naves espaciais, barcos e navios.
Na biblioteca tudo se torna muito especial quando olhamos pelas janelas dos livros. E dos tantos amigos que fazemos e que lá estão sempre à nossa espera. Estão à espera e pedem para abrir-mos as páginas e partirmos de novo à aventura.
Foi assim que ficamos a conhecer um novo amigo: o leão-marinho, que estava aborrecido de tanto cair, naquele gelo polar com o aquecimento global, este gelo transformou-se numa grande armadilha para o nosso amigo. Parte-se facilmente quando pousa os seus pesados pés sobre o tapete branco e “Au! Au! Au! Ai! Ai! Ai! Ui! Ui! Ui! Patas Doridas! Traseiro Doloroso! Barriga com Fome! Chega!”.
Leo e o leão-marinho partem então juntos à aventura, limpando o oceano, visitando lugares incríveis debaixo do mar, partilhando os lanches e as sabedorias. Um rapaz que aprende a pescar de forma justa e um leão que aprende a conduzir vários meios de transporte é sem dúvida algo a aplaudir.
E sabem que mais? Sem sair da mesma biblioteca! Uau!”

 

b_0_280_16777215_01_images_Noticias_Livru2019.jpg


Se tivermos uma biblioteca e um jardim temos tudo (Marcus Cícero)

Agrupamento de Escolas da Lousã

Um agrupamento aLer+